ESCOLA CANTO DA ILHA > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > A FOME E A DESIGUALDADE SOCIAL NO BRASIL E NO MUNDO DEBATIDO EM EVENTO NA ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA ILHA

A FOME E A DESIGUALDADE SOCIAL NO BRASIL E NO MUNDO DEBATIDO EM EVENTO NA ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA ILHA

22/10/2019

Nos dias 18 e 19 de outubro de 2019, a ETHCI/CUT organizou atividades em referência ao Dia Mundial da Alimentação

Escrito por: Turma Informática básica e Internet 2019.2

Aconteceu nos dias 18 e 19.10.2019, na Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha/CUT, atividades referentes ao Dia Mundial da Alimentação. Estiveram presentes estudantes da escola, educadores e convidados.

No dia 18.10, foi realizada a identificação das plantas no temperódromo e depois houve a atividade no auditório da escola que contou com a palestra de abertura de Aline M. Salami (Coordenadora da Escola e educadora do curso de Gastronomia e Identidade Cultural) sobre a questão da fome no mundo e no Brasil.

Segundo Aline, devido ao grande apelo midiático, os hábitos alimentares familiares tem mudado muito nos últimos anos, pois foi introduzido no nosso cotidiano alimentos industrializados. Atualmente, o prato típico do brasileiro, feijão, arroz, carne e salada cedeu espaço aos alimentos processados, devido a falta de tempo das pessoas. As crianças tem sido o público prioritário da indústria de alimentos que usam estratégias de associar alimentos a brinquedos e desenhos animados, formando uma geração de crianças obesas e ao mesmo tempo desnutridas. 

Um dos motivos é a desigualdade social, pois apesar de ter havido políticas públicas no período de 2003 a 2014 conhecido como “Programa Fome Zero”, que contribuíram para o país sair do mapa da fome, a desarticulação destas políticas no momento atual trouxe um aumento da fome no país, alerta Aline.

Contamos também com participação especial de Alésio dos Passos, especialista em plantas medicinais e sua esposa, Cléa Bregue Daniel, gastrônoma e especialista em comida nutracêutica e PANC´s (plantas alimentícias não convencionais) que são plantas de desenvolvimento espontâneo, facilmente encontradas em jardins, hortas, quintais e até mesmo em calçadas de rua.

Para Vanessa Alves da Silva, educanda do curso de Comunicação e Cultura: Língua Espanhola, que participou da apresentação musical da turma, o evento trouxe o conhecimento sobre o uso das plantas e sua importância para uma alimentação saudável e acessível. A planta pode ser uma maneira alternativa de alimentação, possibilitando assim menos desperdícios. Vanessa também comentou que o palestrante Alésio dos Passos fornece algumas dessas plantas que ele cultiva em sua residência.

A palestra foi muito interessante e quem participou pode conhecer vários tipos de plantas comestíveis e medicinais de fácil cultivo como também de algumas plantas exóticas.

Ou seja, houve uma riqueza de informações sobre as plantas medicinais e hortaliças orgânicas que muitos não conheciam, contribuindo para ampliarmos os nossos cardápios cotidianos. A grande quantidade de plantas medicinais e de hortaliças que podemos plantar em nossa casa são possibilidades para termos uma alimentação mais saudável. Foi muito interessante sabermos mais sobre as certas plantas que trazem  benefício à saúde e podem reduzir o quadro da fome.

Durante o evento foi realizada ainda uma apresentação da turma de Comunicação e Cultura: Língua Espanhola, dirigida pelo educador Juan Manuel Otalora Vilamill. Ele comentou que fez a escolha da música “Ojalá Que Llueva Café En El Campo” que na Língua Portuguesa significa “Tomara que chova café”, do cantor e compositor Juan Luís Guerra e que esta expressão popular na região, tem o café como símbolo de prosperidade/fartura. Na época em que foi composta esta música, anos 1980, houve uma grande seca na América Central e as pessoas passaram fome e sede. A música retrata esta realidade com as seguintes metáforas: 


Tomara que chova café no campo

Que caia um aguaceiro de mandioca e chá

Do céu uma jarina de queijo branco

E ao sul uma montanha de agrião e mel

Oh, oh, oh, oh, oh, tomara que chova café...” 


Para o encerramento da atividade no dia 18/10, houve uma confraternização com alimentos produzidos pela turma de Gastronomia que também distribuiu o sal de ervas (com a receita) para todos os participantes.

Segundo Elaine da Silva Pessoa, educanda do curso de Gastronomia, os alimentos foram produzidos em grupos e o que mais chamou sua atenção foi conhecer o espessante de banana verde (Biomassa de banana verde) que pode ser usada para o preparo de doces e salgados, além de ser uma ótima opção aos intolerantes ao glúten. Os biscoitos amanteigados que produziram aos convidados foi sua maior experiência, relata a entrevistada.

A opinião em geral é de que a turma cresceu muito em relação ao conhecimento sobre os alimentos. Durante as aulas foi possível analisar os rótulos dos produtos processados e descobriu-se uma grande quantidade de açúcar contida nos biscoitos como por exemplo, no Nesfit, onde o açúcar aparece com 3 ou 4 nomes diferentes. 

É impressionante saber que num país de terras tão produtivas, 5% da população vive na extrema pobreza (IBGE/Pnad 2018) com uma renda de R$ 51,00 por mês, isto é, passa fome.  

Além disso, os hábitos alimentares de baixo valor nutritivo causa obesidade e subnutrição e no Brasil, 17,9% da população está obesa e 5,2 milhões de brasileiros estão subnutridos e isso ocorre devido ao fato de os alimentos ultraprocessados terem um custo menor.  As estatísticas são alarmantes!

Na atividade pudemos observar a diversidade geográfica dos alunos presentes, com seus dialetos e hábitos locais bem variados bem como a união dos grupos frente a novos  aprendizados. A presença de familiares e amigos foi importante dentro de um clima de harmonia entre os apresentadores e o público, marcado pela sintonia e respeito. Foi um momento de reflexão sobre o tema da Alimentação que coincide com a divulgação da pesquisa IBGE/Pnad que aponta o aumento brutal na desigualdade social do paìs e de suas devastadoras consequências.

Já no dia 19.10.2019, a partir das 19h30, foi apresentado o documentário Histórias da Fome do Brasil produzido pela ONG Ação da Cidadania contra a Fome (2018) e em seguida tivemos o encerramento da semana com a confraternização na cantina com comes e bebes e música ao vivo com Sérgio Ribeiro, na edição especial do Arte&Boteco.


Agradecemos a todos que participaram! 


Matéria produzida coletivamente pela turma Informática Básica e Internet ETHCI/CUT

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT

Escola de Turismo e Hotelaria - Canto da ilha
Av. Luiz Boiteux Piazza, 4810, fundos | Ponta das Canas | CEP 88056-000 | Florianópolis | SC
Fone: (55 48) 3284.8820 | www.escoladostrabalhadores.org.br